O que Portugal precisa…(Parte III)

Os portuguesitos ainda não se aperceberam do poder que têm. Isto faz-me lembrar uma pessoa sábia que dizia: “Se o touro soubesse a força que tem, ninguém o dominava!”.

Nós somos como o touro, só precisamos de acreditar na nossa força. O que podemos fazer? Revoluções? Tumultos? Greves? Selvajaria? NÃO! Somos seres inteligentes e capazes de encontrar formulas e métodos que façam o reset ao sistema.

O peso dos impostos quer sobre o contribuinte quer sobre as empresas é esmagador. Tempos houve que a economia paralela alimentava uma grande parte da população. Podemos fazer como um célebre autarca que apesar de meter a mão no bolso do contribuinte fez obra e foi sempre apoiado pelos seus eleitores. Porque não fazer o mesmo? Contornar o sistema, reduzindo o peso da máquina estatal, saltando esse passo enfadonho?

Neste momento que estamos a atravessar se perguntarmos a qualquer português se se importava de pagar menos contribuições ou pagar facturas mais leves sem IVA, a resposta será evidente.

O que se avizinha faz adivinhar uma fuga colossal aos impostos, o aumento do emprego não contributivo e a procura de formulas de saque por via de subsídios e outros que tais.

Os senhores que estão no poder que se acautelem pois correm o mesmo risco porque enveredou Salazar, serem fazedores de comunistas, neste caso de pessoas descontentes que para obterem o que querem vão estar dispostas a tudo. Tenham cuidado não nos vamos transformar numa América Latina da europa…

Sem comentários:

Enviar um comentário

Naturoterapias - Medicinas Tradicionais