Polícia Judiciária... ferida...


Ao contrário do seu estatuto, ser um garante da democracia, da ordem e da justiça, a Polícia Judiciária está ferida, molestada na sua dignidade, quando os seus elementos mais activos são demitidos, suspensos ou são alvo da fúria da magistratura, que cega, os trata como criminosos, quando são arrojados e destemidos no combate ao crime. Os Juízes, fundamentados nas leis que os legisladores (eles próprios!) criaram, acabam por condenar aqueles que defendem a lei e o cidadão comum em benefício do criminoso, que cada vez mais se revela violento e insensível perante os traumas que causa nos suas vítimas.

Não fora o empenho desta força de segurança, que mesmo com meios bastante reduzidos, continua imparável no combate ao crime.

Não posso deixar de lamentar que sendo uma força fundamental para a estabilidade social, não tenha meios logísticos e de investigação adequados ao seu desempenho. Mandamos para fora do país homens e equipamentos para se combater o terrorismo com orçamentos de deslocação e permanência, fabulosos.

Não devíamos preocupar-nos primeiro em investir no nosso país no combate ao "terrorismo" que num crescendo preocupante, tem vindo a assolar o território nacional? Ou será que teremos que esperar que a criminalidade aumente ao ponto do cidadão comum se ter de organizar em grupos de justiceiros?

Senhores políticos, senhores juizes, senhores legisladores, deixem os polícias serem polícias, devolvam-lhes a autoridade, deixem-nos fazer aquilo para que foram destacados... serem polícias!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Naturoterapias - Medicinas Tradicionais